top of page

Energia e Indústrias: cinco perguntas a serem respondidas em 2023

Os altos preços globais do gás e eletricidade. Países ricos em combustíveis fósseis de volta ao comando. Em 2023 e além, quais podem ser as consequências? Como retomar o caminho às fontes renováveis ? Aqui estão cinco perspectivas para monitorar.


Como fica o mapa global da energia?

Rússia exportando gás para a Ásia, China e Índia. Novo gasoduto transiberiano através da Mongólia. Países do Leste Asiático reduzindo a dependência de gás natural liquefeito. OPEP, Arábia Saudita e a relação com os EUA, desenvolvendo seus recursos energéticos domésticos renováveis ​​e fósseis. A União Européia (UE) migrando para alternativas verdes e transferindo indústrias intensivas em energia - siderurgia e fertilizantes - para outras nações. E aproximando-se dos principais fornecedores de gás Noruega, Argélia, Estados Unidos, África e Oriente Médio. Além de Argélia, Nigéria e Namíbia na direção do hidrogênio verde e eletricidade limpa. A Canada–Germany Hydrogen Alliance. O pipeline BarMar entre França, Espanha e Portugal, para gás natural e hidrogênio verde.


Os altos preços da energia impulsionarão as energias renováveis?

Painéis solares e parques eólicos. UE acelerando a instalação de fontes renováveis ​​e modernizando seus edifícios. EUA e a Inflation Reduction Act. Liderança da China em tecnologias limpas e minerais terras raras. 'Reshoring', retorno da produção aos países. Baterias de sódio, painéis solares de filme fino sem silício. ‘Mineral rush' pelo cobalto, lítio.


E o cenário industrial?

Setores intensivos em energia - alumínio, fertilizantes, produtos químicos - se deslocando para locais com energia mais barata, EUA ou Oriente Médio. Outras indústrias, inovando. Siderúrgicas europeias investindo em instalações de hidrogênio verde e eólica. Automobilistica e chassis feitos de 'aço verde' forjado com energia renovável e outras peças “baixo carbono”. Áreas ricas em vento, sol, energia hidrelétrica e biocombustíveis podem emergir como potências econômicas. Risco de desindustrialização em ‘setores tradicionais do carvão, aço e química. Amônia, forma promissora de transportar hidrogênio verde por longas distâncias.


Clique na imagem abaixo para uma análise mais aprofundada da Nature, incluindo duas questões restantes sobre os impactos econômicos e a transição climática.



Commentaires

Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Ajouter une note

 CARBON CREDIT MARKETS

“Nothing in life is to be feared, it is only to be understood. Now is the time to understand more, so that we may fear less.”

“I am among those who think that science has great beauty”

Madame Marie Curie (1867 - 1934) Chemist & physicist. French, born Polish.

bottom of page