top of page

Sobre as diferentes tecnologias de captura de carbono

Tecnologias de captura de carbono.


Na verdade estamos dando sequência ao post de ontem, sobre o Hydrogen Exposition South America no Rio de Janeiro. E o painel "Mercado de captura de carbono na indústria brasileira".


Para os norte-americanos, "There Are Fortunes to Be Made in the Carbon Capture Gold Rush". Inclusive com "tax credits".


Para os chineses, "Transformando CO2 em tesouro".


Você já deve ter ouvido falar sobre CCS, CCUS, BECCS e DACCS, não ? São siglas em inglês, com duas letras "C" indicando "Captura de Carbono". Mas qual seria a diferença exata entre elas? Vamos lá.


- CCS, Carbon Capture & Storage: captura de carbono, a partir das emissões de processos industriais, e e armazenamento em formações geológicas subterrâneas. Os Estados Unidos até já tem mapeamento a respeito. Veja também o caso da Petronas, integrando a Asia.


- CCUS, Carbon Capture, Utilization & Storage: captura e utilização de carbono. Aqui um estudo sobre concreto / cimento / carbonatação.


- BECCS, Biomass Energy with Carbon Capture and Storage: sistemas de bioenergia com captura e armazenamento de carbono. Potencial para usinas de etanol, por exemplo. Inclusive com recente metodologia proposta pela Gold Standard.


- DACCS, Direct Air Capture with Carbon Storage: remoção de carbono do ar. Diferente dos acima, que são associados a emissões industriais. Por exemplo "Trens poderão capturar CO2 da atmosfera" ou essas iniciativas no Japão.


Clique na imagem abaixo para um artigo com mais exemplos pela Agência epbr.


E aqui para nossa série completa de posts sobre Captura de Carbono, incluindo os destacados acima.




 CARBON CREDIT MARKETS

“Nothing in life is to be feared, it is only to be understood. Now is the time to understand more, so that we may fear less.”

“I am among those who think that science has great beauty”

Madame Marie Curie (1867 - 1934) Chemist & physicist. French, born Polish.

bottom of page