Por que o Ártico está aquecendo 4 vezes mais rápido que o resto da Terra

Ártico, um novo estudo científico e o “albedo”.


O Ártico (Pólo Norte) está aquecendo mais rápido que o resto do planeta, tanto em seu território quanto no mar. Você pode ter visto que há vegetação ocupando vastas partes do terreno Ártico. Aqui estão dois artigos interessantes e algumas fotos interessantes da Wired: “Beautiful Yet Unnerving Photos of the Arctic Getting Greener” e “These Trees Are Spreading North in Alaska. That’s Not Good”.


Também interessante, um estudo científico recente publicado na revista Geophysical Research Letters, que mostrou que o Ártico não aqueceu a uma taxa consistente nas últimas décadas. De acordo com os cientistas pesquisadores, houve dois picos distintos: um por volta de 1985 e outro por volta de 1999. Não está claro o que causou esses picos repentinos, mas os cientistas acreditam que o primeiro foi provavelmente devido ao aumento das concentrações de dióxido de carbono na atmosfera e o segundo pode ter sido devido a mudanças das correntes oceânicas.


Independentemente desses picos, os cientistas têm uma boa noção do porquê da aceleração do derretimento geral do Ártico. O gelo marinho tem um "albedo" muito alto, o que significa que reflete muito da radiação do sol, enquanto a água do mar subjacente tem um "albedo" baixo, o que significa que absorve essa energia, a radiação do sol. Em outras palavras, se você vê algo de cor branca, neve, por exemplo, é porque todas as cores do espectro visível estão sendo refletidas para seus olhos. E se o que você vê é preto - como o mar Ártico, bem escuro - é porque o que você está vendo está absorvendo todas as cores do espectro visível.


Então, à medida que esse gelo derrete, o "albedo" do Ártico diminui, elevando as temperaturas, acelerando o derretimento, em um círculo vicioso.


Clique aqui para outro artigo que postamos em 2021 sobre o “albedo” que indicava que a Terra como um todo está agora refletindo cerca de meio watt a menos luz por metro quadrado do que há 20 anos, com a maior parte da queda ocorrendo nos últimos três anos. Isso é o equivalente a uma redução de 0,5% na refletância da Terra.


Clicando na imagem abaixo você pode ler outro artigo da Wired "Why the Arctic Is Warming 4 Times as Fast as the Rest of Earth"e aqui na sequencia para acessar os dados e o artigo científico relatando os picos de temperatura no Ártico “Annual Mean Arctic Amplification 1970-2020: Observed and simulad by CMIP6 modelos climáticos” por pesquisadores do Los Alamos National Laboratory (USA), University of East Anglia (UK), University of Gothenburg (Sweden), University of Southern Queensland, Toowoomba (Australia) PAR Associates (USA), University of Washington (USA) e Dalhousie University (Canada)





 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.