top of page

O oceano está mais quente do que nunca: quais as consequências?

Os oceanos atingiram um novo recorde de temperatura de 21,1 ºC no início de abril, 0,1 ºC acima do último recorde em março de 2016. De acordo com a National Oceanic and Atmospheric Administration dos Estados Unidos (NOAA), esta é provavelmente a temperatura oceânica mais alta em mais de 100.000 anos. Algumas semanas atrás, a mesma NOAA informou que as águas superficiais no Golfo do México, entre 1970 e 2020, aumentaram a uma taxa aproximadamente o dobro do oceano global nas décadas.


De acordo com Josh Willis, um oceanógrafo do Jet Propulsion Laboratory da NASA “Provavelmente estamos olhando para uma série de recordes ao longo do próximo ano ... O ano que vem será crítico se o El Niño realmente acelerae".


O El Niño Southern Oscillation (ENSO) é um padrão climático natural e cíclico. Durante a fase do El Niño, os ventos sobre o Pacífico são enfraquecidos ou invertem de direção, permitindo que as águas quentes se desloquem para o leste no Pacífico. O El Niño tende a coincidir com os anos mais quentes, tanto no oceano quanto na terra. O recorde anterior de 21,0 ºC, por exemplo, ocorreu durante um El Niño fortíssimo. A propósito, La Niña é a fase oposta ao El Niño.


O oceano absorve cerca de 90% do calor extra no sistema climático resultante do aquecimento global. Mas como é preciso mais energia para aquecer a água do que o ar, razão pela qual a temperatura da água na superfície está subindo mais lentamente do que a temperatura do ar de superfície.


Águas quentes fisicamente significam menos capacidade de reter oxigênio dissolvido, aumentando o estresse para a vida marinha. Mais especificamente, pode levar a:

  • impactos na vida marinha e na pesca

  • a proliferação de algas nocivas

  • os corais desbotam e muitos deles morrem

  • e sobre as baleias, elas se aproximam da costa em busca de comida, prendendo-se nad redes de pesca. E até colidindo com navios.


Ondas de calor marinhas também podem desencadear condições meteorológicas extremas, como ciclones.


Clique na imagem abaixo para ler mais na Nature. O artigo também menciona que no Hemisfério Sul, a extensão da calota de gelo marinho atingiu uma nova baixa histórica em fevereiro de 2023.


#oceanos

#aquecimentoglobal

#clima




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.

bottom of page