Estudo ICC-WayCarbon: Oportunidades para o Brasil e Mercados de Créditos de Carbono

Nos próximos 10 anos, o Brasil tem potencial para suprir até 48,7% da demanda global do mercado voluntário de créditos de carbono e até 28% da demanda global do mercado regulado no âmbito da ONU. Com relação ao potencial de transação de créditos de carbono brasileiros até 2030, em 2021 estimou-se em até US$ 100 bilhões, sendo que a estimativa atualizada é de um aumento para até US$ 120 bilhões em 2030.


Essas são constatações da 2a. edição do estudo “Oportunidades para o Brasil em Créditos de Carbono”, feito pela ICC Brasil em parceria com a WayCarbon, e lançado há cerca de um mês, no evento “Pré-COP27: Expectativas e engajamento do setor privado”. A publicação avalia o potencial do ecossistema brasileiro do mercado de carbono, destacando também as principais barreiras. Segundo o comunicado, a nova edição incorpora atualizações após a COP26 dos mecanismos do Artigo 6° e do contexto nacional.


Ou seja, outra recente referência espetacular sobre quem acompanha a evolução dos mercados de créditos de carbono, estando disponíves para download o relatório completo, um resumo executivo e um factsheet bem legal. Em português e inglês.


No factsheet, por exemplo, os seguintes tópicos:

  • Atualizações sobre o artigo 6

  • Estatísticas globais dos mercados de carbono, regulados e voluntários

  • Ecossistema nacional do mercado de carbono

  • Potenciais de transação de créditos brasileiros

  • Avaliação do ecossistema nacional brasileiro

  • Recomendações para o governo brasileiro e para o setor privado

Clicando na imagem abaixo você pode acessar tudo isso.




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.