Desenvolvimentos Recentes nas Iniciativas de Hidrogênio da UE, incluindo os "Vales do Hidrogênio"

O hidrogênio é um elemento importante da estratégia da UE para atingir seu compromisso de emissões net zero até 2050. No entanto, o mercado de hidrogênio com baixo teor de carbono ainda está em seus estágios iniciais e investimentos significativos em infraestrutura serão necessários para que o hidrogênio alcance maior penetração como fonte de combustível.


As discussões políticas a nível da UE visam o crescimento do setor de hidrogênio renovável, proporcionando maior investimento público no curto prazo e facilitando o investimento privado em larga escala no longo prazo.


Por exemplo, em julho de 2022 a Comissão Europeia aprovou € 5,4 bilhões em subsídios ao hidrogênio, através de financiamentos estatais, lançando 41 projetos focados na tecnologia de hidrogênio em 15 países. E o REPowerEU estabeleceu uma meta de 10 milhões de toneladas de produção doméstica de hidrogênio renovável e 10 milhões de toneladas de importações de hidrogênio renovável até 2030. O plano estima que o investimento deve estar na faixa de € 28-38 bilhões para gasodutos internos da UE e € 6 -10 bilhões para armazenamento. Na COP27 em novembro de 2022, a Comissão Europeia também assinou parcerias com o Egito, Cazaquistão e Namíbia, para desenvolvimento, implantação, uso e comércio de hidrogênio renovável e seus derivados. E muito mais, incluindo apoio financeiro à expansão de centros de investigação e inovação em hidrogénio por toda a Europa, os "Vales do Hidrogénio". (não o Vale do Silício nos EUA ;-). Clique aqui para saber mais.


Este memorando da Sullivan & Cromwell LLP fornece um resumo dos desenvolvimentos recentes nas políticas de hidrogênio da UE, com foco na adoção pelo Parlamento Europeu de emendas a Renewable Energy Directive II e ao plano REPowerEU.




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.