Aumento do preço do lítio - e outros minerais - poderia impedir a revolução dos veículos elétricos ?

É forte a crença de que com a queda do custo das baterias os veículos elétricos (EVs) substituirão a combustão interna. De um preço de cerca de US$ 1.200 por kWh em 2010, os preços caíram para US$ 137 por kWh em 2020 e com uma expectativa de menos de US$ 100 até 2023, ponto em que os EVs atingiriam a paridade de preço com veículos de combustão interna, em desafio direto a petróleo e gás. Mas o aumento recente dos preços do lítio leva a questionar quando isso efetivamente acontecerá. Os preços do carbonato de lítio estavam caindo desde o pico de cerca de US$ 15.000 por tonelada em 2018 para metade desse preço até o final de 2020. Mas a partir daí o preço vem crescendo, tendo atingindo mais de US$ 25.000 por tonelada no final de 2021 e atingindo recentemente mais de US$ 40.000 por tonelada. E o mesmo vem ocorrendo com o cobalto e o níquel. Clique na imagem para saber mais, em artigo da Forbes.




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.