A Casa Branca: Implicações climáticas e energéticas de criptoativos nos Estados Unidos

Em março 2022 o presidente dos Estados Unidos solicitou ao White House Office of Science and Technology Policy (OSTP), em alinhamento com o Executive Office of the President e a todas as agências federais, que examinasse as conexões entre as tecnologias de contabilidade distribuída (DLT, distributed ledger technology) e a transição energética, destacando tanto o potencial dessas tecnologias em apoiar o combate às mudanças climáticas quanto seu impacto no meio ambiente.


O relatório, concluído agora em setembro, conclui que a mineração de criptomoedas consome tanta energia quanto toda a iluminação doméstica dos Estados Unidos. E o uso de energia vem triplicando desde o início de 2021, com os Estados Unidos já respondendo por um terço da mineração de criptomoedas do mundo.


O relatório também indica que a geração global de eletricidade para os criptoativos nos maiores mercados resultou em um total combinado de 140 ± 30 milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono por ano (Mt CO2/ano), ou cerca de 0,3% das emissões globais anuais de GEE.


Também destaca o potencial para as tecnologias blockchain desempenharem um papel nos mercados ambientais, e o DLT poderia potencialmente permitir a coordenação de recursos energéticos distribuídos, bem como um gerenciamento mais amplo de cadeias de suprimentos.


Abaixo alguns dos tópicos analisados no relatório

  1. Criptoativos Afetam o Uso de Eletricidade e a Rede

  2. O uso de eletricidade varia para diferentes tipos de ativos criptográficos

  3. A mineração de ativos criptográficos pode afetar os consumidores de eletricidade e a rede

  4. Projeções futuras de uso de eletricidade de ativos criptográficos são incertas

  5. Criptoativos resultam em emissões de gases de efeito estufa e outros impactos ambientais

  6. A mineração de ativos criptográficos usando a eletricidade da rede gera emissões de gases de efeito estufa – a menos que a mineração use energia limpa

  7. Os impactos ambientais incluem poluição do ar e da água, ruído e resíduos eletrônicos

  8. Tecnologias emergentes de ativos digitais podem apoiar o monitoramento ou mitigação do clima

  9. Blockchains e distributed ledgers (contabilidade distribuída) em mercados ambientais

  10. Blockchain como tecnologia de habilitação de fontes distribuídas de energia


Clique na imagem abaixo para acessar o relatório de 46 páginas, das quais 10 páginas apenas com valiosas referências bibliográficas (Endnotes). Há também ótimos gráficos e tabelas comparando as várias criptomoedas.


 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.