The Shift: 5 iniciativas que desenvolvem soluções para a remoção de CO2 pelo oceano

  • Ocean-based Climate Solutions Inc: com bombas movidas pela energia das ondas, a empresa consegue bombear as águas ricas em nutrientes do fundo do mar para a superfície para cultivar fitoplâncton. Ao afundarem, os organismos ajudam a armazenar o carbono no fundo do mar por séculos.

  • Project Vesta: corporação de São Francisco EUA planeja adicionar olivina à água do mar para permitir que o oceano absorva mais CO2. Um experimento será realizado em uma ilha do Caribe.

  • Planetary: a startup canadense usa um eletrolisador para transformar rejeitos de minas em um material alcalino, que pode ser aplicado aos oceanos para aumentar a alcalinidade da água e capturar mais CO2.

  • Running Tide: a startup projetou um boia conectada a uma microfloresta de algas abaixo da superfície da água. As algas absorvem CO2 do oceano e, quando ficam muito grandes, afundam para o fundo do mar levando consigo o carbono absorvido.

  • Solid Carbon: a iniciativa de um consórcio de cientistas deseja capturar CO2 por meio de máquinas de captura direta de carbono do ar instaladas em plataformas flutuantes. O dióxido de carbono seria canalizado para formações de basalto abaixo do leito do mar, onde o material se transformaria em rocha.

Fonte: The Shift


Links para cada uma das 5 empresas que aparecem na imagem estão nos respectivos textos acima.


 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.