Tecnologias de Geoengenharia Climática: Corrupção e Integridade (Transparência Internacional)

Transparência Internacional, abril de 2022. Tecnologias para manipulação do meio ambiente, como captura e armazenamento de carbono (CCS) e gerenciamento de radiação solar, também conhecidas como geoengenharia, são cada vez mais apontadas como a solução para deter e resolver a crise climática. Atualizando agora seu relatório histórico de 2011 sobre corrupção e mudanças climáticas, quando foi dada atenção aos riscos de corrupção relacionados ao clima, como apropriação indébita de fundos, suborno na concessão de contratos, nepotismo, distorção de fatos científicos, violação de princípios de representação justa e falsas alegações sobre as credenciais verdes de produtos de consumo (ou seja, greenwashing), a Transparência Internacional agora explora essas tecnologias de geoengenharia da mesma perspectiva de risco e acrescenta:

  • A concentração de conhecimento / poder em poucos indivíduos ou corporações no que diz respeito às tecnologias de geoengenharia, criando condições potenciais para lobbies corruptos ou influenciar práticas de compra.

  • A concentração de patentes e tecnologia em apenas alguns indivíduos ou atores corporativos pode facilitar a manipulação de contratos públicos para que tais tecnologias favoreçam de fato esses atores.


Clique para baixar este documento de política mais recente e leia as recomendações sobre como combater e mitigar esses riscos e garantir altos padrões de governança e responsabilidade pública.




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.