top of page

SBTI permitirá que empresas usem certificados ambientais para reduzir emissões. Mas …

Hoje é segunda-feira, 15 de abril de 2024.


Depois que a GRI adicionou créditos de carbono aos seus padrões de divulgação há alguns meses e a SEC excluiu o escopo 3 de seus novos regulamentos sobre divulgações - temporariamente suspensos - na semana passada foi uma entidade sediada no Reino Unido que tomou uma medida relacionada aos créditos de carbono e ao escopo 3: a Science Based Targets initiative (SBTI).


O press release da SBTi começa assim: “Embora reconheça que há um debate saudável em curso sobre o assunto, a SBTi reconhece que, quando devidamente apoiada por políticas, padrões e procedimentos baseados em evidências científicas, o uso de certificados de atributos ambientais para fins de redução de emissões escopo 3 poderiam funcionar como uma ferramenta adicional para combater as alterações climáticas."


Como os créditos de carbono são a forma mais conhecida para certificado com atributos ambientais, isto significaria uma flexibilização das regras do SBTi. Não faz muito tempo, em outro esforço a SBTi solicitou evidências sobre certos créditos de carbono.


O press release acrescenta: "A SBTi não embarcará na validação da qualidade dos créditos de carbono. Outras entidades estão melhor posicionadas para lidar com esta atividade. A SBTi permitirá que todas as entidades validadoras tenham acesso claro e compreensão completa das regras de proteção do lado da demanda estabelecidas pela SBTi para esse fim."


Ou seja, como provavelmente você está acompanhando, relacionado a outras entidades sediadas no Reino Unido, como ICVCM ou VCMI.


O press release informa ainda que no próximo mês de julho será publicada uma minuta para discussão de proposta da SBTi sobre possíveis alterações no escopo 3.


Segundo algumas fontes, parte do staff da SBTi não gostou muito da medida, uma extensão “além dos limites atuais”, conforme comunicado pela SBTi.


Como já sabem, nem todos são a favor de ter um mercado para o carbono na "forma de créditos" além das formas existentes já relacionadas ao carbono: diamantes, petróleo, carvão e gás. Nesse sentido, as árvores, as energias renováveis ​​e as novas tecnologias com baixas emissões de carbono continuariam por conta própria.


É como um “jogo de xadrez” para os créditos de carbono. Os principais intervenientes globais – e influenciadores – estão claramente a interagir e a coordenar-se a respeito.


Clique na imagem abaixo para ver o press release da SBTi.


Atualmente, existem mais de 4 mil empresas com metas climáticas de base científica validadas pela SBTi.




Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating

 CARBON CREDIT MARKETS

“Nothing in life is to be feared, it is only to be understood. Now is the time to understand more, so that we may fear less.”

“I am among those who think that science has great beauty”

Madame Marie Curie (1867 - 1934) Chemist & physicist. French, born Polish.

bottom of page