Roupas ventiladas: sobre as pessoas e os próximos verões

Por um lado, os europeus preparando-se para um inverno bem atípico. Por outro, os asiáticos cada vez mais interessados em roupas com ventilação. Vejamos.


Segundo Ollie Jay, professor da Universidade de Sydney, “A maneira mais eficaz de resfriar o corpo é através da evaporação do suor. Para resfriar uma pessoa, você não precisa necessariamente resfriar o ar que a cerca.” Segundo Hiroshi Ichigaya, inventor (aqui uma lista de suas patentes) e fundador da Kuchofuku, ao invés de usarmos mais ar condicionado - e energia - para lidar com ondas de calor, seria “mais razoável condicionar apenas as peças de que precisamos.”


Centenas de roupas com ventoinhas já estão disponíveis online. Os ventiladores funcionam acelerando o fluxo de ar para secar a transpiração, além de representarem vantagens ambientais e fisiológicas sobre ar condicionado, pelo uso menor de energia e por permitir que as pessoas se adaptem gradualmente a temperaturas mais quentes. Veja abaixo algumas marcas:

  • Aoki Holdings Inc.: oferecendo coletes refrigerados por ventilador, feitos sob medida para atividades ao ar livre e eventos esportivos

  • Teijin Ltd.: trabalhando com um fabricante de ferramentas elétricas e uma empresa têxtil para desenvolver jaquetas de resfriamento de camada dupla que reduzem o abaulamento e apresentam um perfil mais elegante

  • Kuchofuku Co. / Octocool: expandindo sua linha de produtos de refrigeração para incluir almofadas de assento, mochilas e camas. Além de parcerias com dezenas de marcas de vestuário como Asics, Mackintosh Philosophy e Manatash


Clique na imagem do gráfico mais abaixo para um artigo a respeito (em inglês) da Bloomberg, ou a seguir para algumas outras matérias:

- Governo do Japão (em inglês)

- Portal RBN (em português)

- Coolestech (em inglês)


Amanhã publicaremos sobre os preparativos para o próximo inverno na Europa.




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.