Resumo da nova lei dos Estados Unidos: US$ 369 bilhões em estímulos para fontes de energia limpa.

Resumimos abaixo 6 partes principais da lei aprovada em 7 de agosto de 2022. Também incluímos links individuais para os mesmos tópicos em nosso blog. E se você quiser ir diretamente para o texto da lei, basta clicar na imagem mais abaixo.

  1. Captura e armazenamento de carbono: As empresas de combustíveis fósseis podem beneficiar-se de créditos fiscais mais altos para capturar e armazenar emissões de dióxido de carbono, permitindo uma transição mais gradual da indústria do petróleo e gás. Veja também este post do nosso blog;

  2. Hidrogênio: Um crédito fiscal de US$ 3 por quilograma de hidrogênio verde – a ser produzido a partir de eletrolisadores – para estimular a indústria. Aqui um link para todos os posts relacionados ao hidrogênio do nosso blog;

  3. Eólica e Solar: Extensão de 10 anos dos créditos fiscais eólicos e solares, visando diminuir a incerteza para os desenvolvedores, o que deve impulsionar os projetos. Link para artigos sobre energia solar e eólica;

  4. Inovação: Um novo crédito fiscal para inovações relacionadas ao desenvolvimento de soluções de armazenamento de energia, ainda um grande desafio tecnológico. Clique aqui para todos os nossos posts relacionados à inovação;

  5. Veículos elétricos (EVs): Os compradores de EVs usados ​​poderão também beneficiar-se de créditos fiscais. Há também incentivos fiscais para estações de carregamento de EVs, além de US$ 15 bilhões para que as montadoras para reequipem suas fábricas ou construam novas. Aqui uma longa lista com nossos posts relacionados a EVs;

  6. Pessoas: Também créditos fiscais para os cidadãos investirem em eficiência energética e fontes de energia limpa. Leia mais aqui.

Por último, a lei norte-americana também abrange Supply Chain (como nossos posts) e questões financeiras e bancárias (link).


 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.