Repensando o Balanced Scorecard para a era ESG (HBR)

Triplo "bottom line" ideal é aquela onde os valores econômico, social e ambiental convergem. Artigo da Harvard Business Review dá exemplos. Complementarmente aos sistemas contábeis tradicionais, o Balanced Scorecard (BSC) pode propiciar, além das métricas em si, um framework vinculando itens não apenas estratégicos mas financeiros a não financeiros: crescimento, aprendizado, processos, clientes e performance financeira. Propiciando mais pragmatismo no desenvolvimento de um ecossistema mais inclusivo. Com um maior engajamento dos consumidores por mais transparência e explicações, as empresas precisam abandonar as forma tradicional de escolher seus fornecedores. Deveriam abandonar o imediatismo do preço e puramente condições comerciais, por decisões que levam em conta outros fatores de longo prazo, como impactos ao longo da cadeia de produção, questões de sustentabilidade como as emissões de CO2, e as práticas de emprego e distribuição de renda. Clique na imagem para ler esse ótimo artigo de Fev/2021.



 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.