O nível do rio Reno na Europa aproxima-se do recorde de baixa

Algumas semanas atrás, publicamos sobre a seca severa do maior rio na Itália, o rio Pó (relembre aqui). Agora a notícia é sobre o rio Reno, um dos principais rios europeus que nasce nos Alpes suíços, corta a Alemanha e deságua na Holanda, na região de Rotterdam. Representa um importante meio de transporte fluvial, de irrigação agrícola e relevante fonte de água doce para os Países Baixos. Nível baixo assim ocorreu apenas 2 vezes nos últimos 100 anos. E um rio com navegabilidade prejudicada pode afetar o fluxo de muita coisa, de combustível a produtos químicos. Quando as barcaças não podem navegam completamente carregadas, são necessárias mais barcaças para transportar a mesma quantidade de carga. O custo para transportar combustível entre a Alemanha e Basileia, na Suíça, se há alguns meses era EUR 25 / tonelada, agora está EUR 200 (!). Ou seja, os custos estão fora de controle. Em 2018, a última vez que a água do Reno baixou significantemente, a interrupção afetou o crescimento do PIB trimestral alemão em 0,4%. Clique na imagem para ver o impacto na Holanda, pela Dutchnews e aqui para o impacto na Alemanha, pela Bloomberg.


 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.