Comunidade Européia aproxima-se da adoção dos relatórios de sustentabilidade mais abrangentes

Nova Diretiva da União Européia (UE) sobre Relatórios de Sustentabilidade Corporativa (CSRD) representa ponto de atenção também para empresas não pertencentes ao bloco. Os líderes da União Europeia chegaram a um acordo político sobre uma CSRD revisada que introduziria requisitos detalhados de relatórios de sustentabilidade para todas as “grandes” empresas da UE e empresas com títulos listados em qualquer mercado regulamentado da UE. As empresas não pertencentes à UE também seriam obrigadas a reportar numa base consolidada se gerarem mais de 150 milhões de euros de volume de negócios líquido anual na UE e tiverem pelo menos uma filial ou sucursal grande ou cotada na UE. Os requisitos de divulgação de CSRD abrangerão vários fatores ambientais, sociais e de direitos humanos e governança e exigirão atestado. Notavelmente, os relatórios estarão sujeitos ao padrão de “dupla materialidade”. As empresas também precisarão divulgar seus planos para garantir que seu modelo de negócios e estratégia corporativa sejam compatíveis com a limitação do aquecimento global a 1,5°C. Clique para ler mais, memorando da Sullivan & Cromwell LLP (em inglês), escritório de advocacia multinacional americano com sede na cidade de Nova York.


 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.