Como manter as colheitas em um mundo mais quente e seco ?

Mais terra, mão de obra e produtos químicos não são opções sustentáveis face a a grande probabilidade do aquecimento global não desacelerar tão cedo. Uma resposta seria investir em pesquisa e desenvolvimento, em busca de novas tecnologias como meio de mitigação e adaptação das culturas ao estresse hídrico persistente. Há um número crescente de startups com invenções destinadas a adaptar os alimentos à seca. Seguem links para três “empresa de inovação agrícola” e o que indicam estar fazendo a respeito:

  1. Opti-Harvest : tubos, painéis e cones de polímero colorido colocados sobre, acima ou ao redor de árvores ou outras culturas, para aumentar a fotossíntese.

  2. PhytlSigns : eletrodos que penetram na planta e usam aprendizado de máquina para determinar como a planta está reagindo ao insumo agrícola.

  3. Pivot Bio : maneira de reprogramar micróbios para produzir nitrogênio, independentemente do que está acontecendo ao redor.

Clique na imagem um artigo da Bloomberg, detalhando os resultados para diversos alimentos vegetais e mais referências.




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.