As 10 empresas financeiras que possuem metade de todas as futuras emissões de carbono

O "Carbon Underground 200", compilado e mantido pela FFI Solutions (anteriormente Fossil Free Indexes), identifica os 100 maiores detentores de reservas de carvão e os 100 maiores de petróleo e gás do mundo, classificados pelo conteúdo potencial de emissões de carbono de suas reservas relatadas. Juntas, essas empresas de energia possuem 98% das reservas conhecidas de combustíveis fósseis que, se queimadas, emitiriam 674 gigatoneladas de carbono. Como referência, o equivalente a 20 anos de emissões. Veja nosso post da semana passada, quando a IEA informou que espera que as emissões de CO2 cheguem a 33,8 bilhões de toneladas neste ano de 2022.


Em uma tese apresentada na Universidade de Waterloo, no Canadá, os pesquisadores analisaram o banco de dados "Carbon Underground 200" para encontrar os investidores mais relevantes por trás dessas potenciais reservas de emissões de carbono.


E descobriram que 10 acionistas possuem 49,5% disso.


Aqui está parte do "abstract" da tese: "As economias ao redor do mundo enfrentam uma escolha difícil - reforçar a produção de combustíveis fósseis e enfrentar a catástrofe climática ou manter os combustíveis fósseis no solo e enfrentar trilhões em potencial encalhe de ativos. Os mercados de capitais, como partes interessadas, têm um papel central a desempenhar nas transições de sustentabilidade devido à sua influência relevante na governança da indústria de extração de combustíveis fósseis. Usando análise de rede, esta dissertação liga empresas de combustíveis fósseis a proprietários de capital, distinguindo as características de propriedade dos principais acionistas e estabelecendo uma classificação dos acionistas mais prevalentes, com base no potencial de emissões e na centralidade da rede."


Sobre a estrutura do trabalho, depois da Introdução - com temas interessantes como "Terra - Nossa Casa", "Água - Combustíveis Fósseis como Agentes de Mudança Cultural", "Ar - Mercados de Capitais como Sistemas Contextuais" e "Fogo - O Espírito de Resistência", a seguir indicamos os principais capítulos do relatório:


  • Mapeamento de 70 Anos de Avanços em Pesquisa Gerencial de Sustentabilidade

  • Estratégias de Investimento para Ação Climática: Uma Análise Bibliométrica

  • Uma voz para a mudança? Uma Análise de Rede de Propriedade e Controle na Indústria de Combustíveis Fósseis do Canadá

  • Dez atores financeiros podem acelerar uma transição para longe dos combustíveis fósseis


O relatório também traz insights realmente ótimos - e inovadores - nos capítulos "Evolução do discurso de gestão", "Sustentabilidade versus linguagem de gestão convencional", "O futuro da teoria da gestão e grandes desafios" e "Desinvestimento versus engajamento". Ou seja, não perca seu conteúdo!


Clique para baixar a pesquisa (em inglês) de Truzaar Dordi intitulada "Investing for Climate Action: The Role of Capital Markets in Enabling a Low-Carbon Transition" #SomethingDifferent




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.