Agro no Brasil pode ser sustentável, diz presidente do WWF

O presidente do WWF International (World Wide Fund for Nature) defendeu o papel do Brasil durante o Seminário "Economia Verde - Uma Visão do Brasil 2030", realizado em São Paulo, no dia 23 de novembro. “O agronegócio no Brasil pode ser transformado para ser sustentável usando técnicas agroecológicas e de cultivo natural que demonstraram gerar benefícios consideráveis como maior produtividade, maior resiliência, menores custos e mais lucratividade”. Um dos principais motores da mudança é a pressão das novas gerações, que procuram saber que tipo de produto estão comendo, de onde vêm os alimentos que comem e como são feitos os materiais que usam. Essa geração está transformando a relação de consumo e empurrando o mercado para mudanças rápidas. O economista também defendeu investimentos em capital humano. “Os países desenvolvidos agora colhem as recompensas de investir em capital humano. E é aqui que está a verdadeira riqueza dos países: nas pessoas, não no petróleo. O que vai manter o crescimento do mundo são as pessoas. Com melhor capital humano, as tendências para todos os setores evoluir também, principalmente na agenda ambiental ”, disse. Evento contou com a participação de Roberto Waack, da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura e presidente da Fundação Renova; Izabella Teixeira, mestre em planejamento energético, doutora em planejamento ambiental e ex-Ministra do Meio Ambiente; Mário Sérgio Vasconcelos, diretor de Sustentabilidade e Marketing da Febraban; Sandra Guerra, fundadora da Better Governance Consulting e Conselheira GRI, dentre outros. Clique na imagem para saber mais.




 CARBON CREDIT MARKETS

« … car rien ne se crée, ni dans les opérations de l’art, ni dans celles de la nature, et l’on peut poser en principe que, dans toute opération, il y a une égale quantité de matière avant et après l’opération ; que la qualité et la quantité des principes est la même, et qu’il n’y a que des changements, des modifications. »

Antoine-Laurent De Lavoisier 1789, Traité élémentaire de chimie.